quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Notícias - Setembro 2016

Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade; Com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo; (Ef. 1:11-12)


Sunbird - "Nectariniidea" - sugando nécter de um Aloé Vera
Refletindo sobre nossa vocação em Cristo só podemos agradeçer ao Pai pelo fato de nos chamar, em primeiro lugar e acima de tudo, para sermos. Isso mesmo! Seu propósito ao nos redimir em Seu Filho é o de sermos para louvor de sua glória a qual Ele não compartilha com nenhum outro ser. Assim sendo, usando uma linguagem antropomórfica, eu diria que Deus está mais preocupado com o que somos ou o que nos tornamos em nossa caminhada com Ele do que com o que fazemos ou somos capazes de fazer. Ou seja, o nosso fazer só faz sentido se estivermos totalmente arraigados nEle e interiamente dEle dependermos, assim como o ramo em relação à videira conforme descrito no evangelho de João capítulo 15. É consciente desse chamado que nós, como família, vivenciamos nossa caminhada diária no Seu serviço.
Lembrando a infância
Leonardo está trabalhando muito em seu programa de mestrado, tempo integral, previsto para concluir em 2017. Ultimamente tem ido trabalhar em meio aos protestos de movimentos estudantis que lutam por estudos gratúitos nas universidades sulafricanas. Em alguns casos tem havido atos de vandalismo e violência. Philipe, apesar do receio a alguns meses de que ficaria sem trabalho, continua bastante ocupado tanto na empresa quanto como free lancer. Nas ultimas semanas esteve atuando como voluntário auxiliando crianças carentes com aulas de arte. Ele também tem ajudado muito como professor em uma classe de crianças da EBD. Guilherme está bem e cada vez mais adaptado à vida em Goiânia. Tem superado as demandas e pressões do trabalho e, na medida do possível, envolvido com a igreja a qual frequenta na cidade.

Aproveitando oportunidades

Iolanda e eu estamos bem de saúde, apenas os resfriados do inverno e alergias do início da primavera ainda castigam um pouco, mas logo será coisa do passado. Meu nível de potássio apresentou uma pequena queda no final de Julho, mas já voltou ao normal. Talvez em função da indefinição em relação aos vistos, Iolanda teve alguns desconfortos emocionais que obrigaram a um ajuste na medicação, mas também se sente melhor. Está se sentindo realizada com suas crianças da EBD. Ela está trabalhando esse ano com os menorzinhos.



Nosso processo com os vistos continua enroscado em algum lugar. Pela lei de imigração da África do Sul temos o direito a pedir visto de permanência. Assim, resolvemos entrar com o pedido, não que pretendamos ficar aqui para sempre, mas porque isso facilitaria bastante nosso trabalho nos deslocamentos para países da região, diminuiria os custos com documentação, acabaria com a necessidade de renová-los a cada 3 ou 4 anos, etc. Acontece que para entramos com pedido para esse tipo de visto precisamos estar dentro do país e com o visto de trabalho válido. Por isso mesmo demos entrada um ano antes de vencer nosso visto de trabalho. O departamento levou tanto tempo para nos responder que quando respondeu aquele visto já estava para expiriar e já havia um outro pedido nosso para renovação dos vistos de trabalho. Resultado, negaram o pedido de visto de permanência. Como cabia apelação, entramos com a apelação e agora precisamos aguardar o desfecho final, pois se deixarmos o país sem a decisão sobre a apelação não só perderemos o direito ao visto como ficaremos inelegíveis a entrar novamente no país por um período de 5 anos. Ou seja, estamos impedidos de cruzar qualquer fronteira até que tudo se resolva. Por mais que saibamos que Deus está no controle absoluto, não conseguimos evitar a inquietação e o estresse.
Reunião com pastores de Igrejas Reformadas
O fato de no momento estarmos por lei impedidos de trabalhar, não nos inabiliata ao envolvimento com a igreja e suas atividades, uma vez que não se caracteriza atividade remunerada. Por outro lado, temos procurado manter nosso trabalho à distância em dia uma vez que podemos fazê-lo via internet (comunicação com os campos e perceiros, orientações a candidatos e interessados, etc). Esse mês tivemos dois excelentes encontros com lideranças do Sínodo Tumbine da Igreja Reformada de Moçambique (região de Milange) e Igreja Reformada de Strand, África do Sul. Novamente fomos desafiados como APMT/IPB a darmos as mãos no trabalho naquela região de Moçambique.

    MOTIVOS PARA AGRADECER
    1. Pelas portas abertas para o trabalho missionário nos países da região;
    2. Pela nossa saúde e pela saúde dos nossos filhos;
    3. Pelo retorno da missionária Ligia ao campo em Moçambique;
    4. Pelo entendimento que têm os nossos filhos de que o que são em Cristo é mais importante do que o que fazem ou são capazes de fazer;
    5. Pela oportunidade que o Leo teve de participar na ultima conferência da Sociedade Sulafricana de Bioquímica e Biomedicina;
    6. Pelo que Deus tem nos ensinado nesse tempo de espera sobre os nossos vistos.
    MOTIVOS PARA INTERCEDER
    1. Para que nos protestos nas universidades Sulafricanas prevaleçam a paz e o bom senso;
    2. Para que se agilize o processo quanto aos nossos pedidos de vistos junto ao Departamento de Assuntos Internos;
    3. Por mais trabalhadores para a região Austral do Continente;
    4. Pelas missionárias Silvia Octaviano, ainda tentando levantar sustento para seu retorno e Lígia Bordini em processo de readaptação ao campo em Moçambique;
    5. Por demais colegas atuando em campos da região.
Agradecemos imensamente seu envolvimento na missão de Deus, da qual também somos parte.

Um grande abraço e até a próxima!

Rev. Gesse e Iolanda Rios

Nenhum comentário: