sábado, 19 de julho de 2014

Notícias de Moçambique - Missionário Luciano Azevedo

Eleições na Igreja Presbiteriana de Moçambique


O primeiro semestre de 2014 foi marcado pelos preparativos para a reunião do Sínodo da IPM (equivalente ao nosso Supremo Concílio), quando se realizam eleições para compor as mesas que conduzirão a igreja nos próximos cinco anos! Temos acompanhado com alguma expectativa essas eleições e esperamos que a nova liderança continue comprometida com o fortalecimento da parceria existente com a IPB. Boa parte de nosso trabalho depende de uma boa harmonia nessa parceria! 

Finalmente, no dia 12/Julho, foram eleitos os novos membros do Sínodo da IPM (Mesa Diretora) e Conselho Sinodal (Mesa Executiva). O Rev. Ernesto Langa foi reeleito para Presidente do Sínodo e o Rev. Obede Baloi foi eleito como novo presidente do Conselho Sinodal. O Rev. Obede vinha exercendo a função de diretor da Escola de Teologia, o que significa que nos próximos dias conheceremos um novo diretor para nossa escola, uma vez que ele não poderá conciliar os dois cargos.

Continuem em oração, de forma que Deus continue a revelar aqueles a quem ele já tem escolhido para liderar os trabalhos nessa igreja. Não esqueçam de colocar em vossa agenda de oração os nomes dos pastores acima mencionados! Orem que Deus use esses novos líderes de forma poderosa desse país, de forma a glorificar Seu santo nome!

Curso de Evangelização na Igreja Pesb. da Matola

Uma das maiores necessidades na Igreja Presbiteriana de Moçambique, ao nível do trabalho nas igrejas locais, é quanto ao treinamento na área da evangelização. Há uma concepção errada por alguns de que evangelização consiste exclusivamente num programa da igreja! Para outros, o evangelismo foi reduzido à tarefa de visita aos enfermos (o que faz parte, claro, mas não só!).

Atendendo a uma solicitação da liderança da Igreja Presbiteriana da Matola, demos início a um treinamento para a Comissão de Evangelização. O treinamento inclui a capacitação para o evangelismo pessoal, mas o alvo principal é transmitir a visão bíblica da tarefa de evangelização como um pressuposto básico na vida cristã, mediante o testemunho em palavras e atitudes. Isso passa pela compreensão de que, como Igreja de Cristo, temos uma responsabilidade missionária de pregar a mensagem de salvação numa sociedade condenada e corrompida pelo pecado. 

Temos nos reunido semanalmente para esse estudo numa primeira fase e, posteriormente, passaremos a realizar visitas evangelísticas com os alunos para a aplicação prática do método de evangelização pessoal que estamos transmitindo. Orem para que Deus nos dê sabedoria e êxito nessa capacitação. Orem que Deus seja glorificado através do testemunho desses alunos. Na foto anterior, vemos uma reunião do Consistório local (Conselho) da I.P. da Matola, onde tenho colaborado e onde temos realizado essa capacitação. 

“Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.” Isaías 26:3

Casa Koinonia

O último trimestre foi repleto de desafios quando ao trabalho junto à Casa Koinonia. Nossas irmãs Evangeline e Juanita, responsáveis pela Casa por anos, retornaram aos EUA pra um período de férias. Na verdade, as duas já se preparam para a aposentadoria (merecida) e, embora Evangeline ainda retorne a Moçambique em Julho, deverá ficar por um curto período. 

Só para recordar, a CK é uma associação que trabalha provendo acomodação para obreiros (missionários, pastores, grupos missionários de curto prazo, etc.) em transito por Maputo. Tenho feito parte da direção dessa associação, vivido e colaborado com esse ministério de forma paralela ao meu trabalho junto à IPM. De modo especial, tenho estado envolvido nesse momento de transição, em que novas pessoas deverão assumir a direção da CK até o início do próximo ano.

Tem sido um privilégio para mim viver aqui e contribuir com esse trabalho tão útil para a obra missionária nesse país. Normalmente, as pessoas conhecem a CK como “Oasis para missionários”, pois muitos se hospedam conosco para descanso também. Orem por esse ministério e por meu trabalho junto à CK. 

Expansão da Escola de Teologia do Khovo

Os irmãos já têm acompanhado em oração esse processo e sabem de nossa necessidade urgente por espaço para as aulas. Temos agora quase trinta alunos e o número só não pode aumentar por não contarmos com a infraestrutura mínima para acomodar mais alunos.

A APMT fez uma oferta para que contratássemos um engenheiro para elaboração de um projeto de expansão da escola. Esse projeto já está pronto e entregue (foto). Parece pouco, considerando que não contamos ainda com nenhum valor para a construção em si, mas creio ser um passo importante para que possamos contatar possíveis doadores com um projeto claro, que inclui estimativas de custo, daquilo que queremos fazer. No total, precisaremos de cerca de R$200.000,00 para a expansão da Escola de Teologia do Khovo.

O projeto inclui a construção de duas novas salas de aula, uma biblioteca, salas para secretaria e direção, além da renovação das duas salas e banheiros já existentes. Estamos esperando em Deus! A IPM é uma igreja relativamente grande, mas com tão poucos obreiros devidamente treinados! Conto com vossas orações para que esse projeto se concretize!

Escola de Teologia do Khovo

Continuamos pedindo  orações em favor de nossa pequena escola teológica.
A necessidade de treinamento dos anciãos e obreiros leigos em nossa igreja é imensa! Devido ao reduzido número de obreiros oficiais (pastores, evangelistas e instrutores) na IPM, o obreiro leigo ocupa uma posição de extrema importância no que diz respeito ao ensino da Bíblia ao nível das igrejas locais e congregações. Boa parte do trabalho de ensinar e pastorear o rebanho da IPM acaba por ficar a cargo desses obreiros em nossa igreja.

Na Escola de Teologia do Khovo temos as mais diversas profissões: médicos, enfermeiros, professores, policiais, juristas, faxineiros, vendedores, donas de casa, aposentados, etc. Além de fortalecerem o trabalho na igreja, nossos alunos estão também inseridos nos mais diversos setores da sociedade, onde encontram um campo vasto para a pregação do Evangelho!

Continuem orando por nossos alunos e por nosso desafio de desenvolver essa escola e, através dela, semear a semente do Evangelho em Moçambique.

Obrigado pelo fiel apoio para que nosso trabalho continue!

Luciano de Azevedo – Moçambique
(luciano@ipb.org.br). 



quinta-feira, 17 de julho de 2014

Nossas Notícias

Cidade do Cabo, julho de 2014

"Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá; não permitirá jamais que o justo seja abalado.” Salmo 55:22

A recente humilhante derrota da seleção brasileira para a Alemanha nas semifinais da Copa do Mundo de futebol pegou a todos nós de surpresa e certamente mexeu com o nosso “orgulho” de ser brasileiro. Como a maioria dos brasileiros, nós também ficamos desapontados. Experimentar esse sentimento estando “fora de casa”, foi algo ainda mais doloroso. Ainda mais ter que ficar dando explicações para os nacionais que também se sentem desapontados. Ainda bem que em Cristo encontramos refúgio para a alma abatida pelas circunstâncias da vida.

Completamos 27 anos de casados no dia 11 de julho. Olhamos para trás com alegria pelas conquistas na caminhada. Deus nos deu a graça de nos retirarmos a pouco mais de 100km de Cape Town, nas montanhas frias da pequena Villiersdorp. Gostamos muito da vida rural. Visitamos uma fazenda criadora de Alpacas. Ficamos encantados com esse animal. 

Agradecemos a Deus pelo Guilherme ter conseguido vender seu carro. Assim terminou de pagar o restante do financiamento. Agora acelera os preparativos para seu retorno ao Brasil. Está bastante convicto de sua decisão de voltar e muito feliz com essa possibilidade, mas antes disso gostaria de ter alguma oferta de emprego para que tenha como se manter ao chegar. Juntamente com ele nos alegramos também com o excelente resultado obtido no exame para o Certificado de Rede CISCO. Passou com nota bem próximo à nota máxima. Philipe tem se sentido à vontade com os colegas de trabalho e suas atividades como artista junto à Triggerfish. Ainda continua precisando de nossas orações em relação à liberação do visto. O departamento de imigração da África do Sul introduziu uma série de novas leis que estão afetando o processo de vistos de muita gente. Leonardo terminou mais um semestre com sucesso. Agora entra no último semestre antes de começar a pós-graduação. Ainda estamos vendo se teremos condições de custear as passagens deles para as férias no Brasil. Sentem saudades! Não foram conosco da últimas vez que fomos, portanto, são mais de 4 anos sem retornarem para visitar os parentes.

Silvia, nossa colega de trabalho aqui, estará retornando ao Brasil em setembro para um tempo de tratamento médico. Laura, sua filha que estuda na China, está bem. Nesse momento se encontra visitando a mãe por dois meses. Antes de retornar à China participará conosco em nosso encontro missionário.

Pela graça de Deus estaremos realização o nosso primeiro encontro missionário entre os dias 04 a 09 de agosto de 2014, nas instalações da Mercy Air http://www.hospitality.mercyair.org/ na cidade de White River, África do Sul. Além da presença do Rev. Marcos Agripino representando a APMT, contaremos também com a participação do Rev. Fernando Arantes como nosso preletor. Ainda estamos precisando de R$ 2.400.00 para cobrir o restante das despesas com hospedagem e alimentação. Se você deseja contribuir especificamente para esse fim, por favor, escreva-nos através de gesse@apmt.org.br ou gessrios@gmail.com. E lhe diremos como.
A Igreja Presbiteriana da Comunidade do Kenilworth está enfrentando um momento de transição. Depois de 11 anos pastoreando essa igreja o Rev. Mike Muller aceitou o convite ao pastorado de outra igreja na cidade. Assim, a KCPC terá que passar alguns meses na busca de outro pastor nacional para assumi-la. Será um grande desafio considerando suas características multiétnicas. A princípio não sabemos o impacto disso para o C-STEP (projeto em parceria com a Igreja Presbiteriana do Kenilowrth). Por enquanto continuam as ações de apoio na educação formal das crianças refugiadas, sendo que com a chegada do inverno o projeto resolveu também providenciar roupas de frio.

Nossa última informação é que decidimos retomar o projeto do livro contando a história da conversão de Pedro Vicente, angolano, cego que foi salvo por Deus em meio à experiência de refugiado. Creio que o mesmo será valioso instrumento de edificação, evangelismo e discipulado. E com certeza ajudará pessoas que convivem com alguma limitação física. Recentemente nasceu seu segundo filho, dessa vez uma menina a quem Ele e Anthea (sua esposa) colocaram o nome de Hellen Jean.

Para agradecer a Deus conosco:
  1. Pela vida da pequena Hellen Jean, filhinha do Pedro e Anthea.
  2. Pela aprovação do Guilherme no Sistema de Rede CISCO e pela venda do carro.
  3. Pelos nossos 27 anos de casamento e pelos frutos de nossa união.
  4. Pelo trabalho do Philipe e pelos estudos do Leo.
Para interceder:
  1. Pelo Primeiro Encontro Missionário da Base APMT África Austral a realizarmos em Agosto. Ore pelos Revs. Fernando e Marcos Agripino que estarão ministrando ao grupo. Ore por viagem segura de cada participante. Ore para que os objetivos de edificação, refrigério e crescimento pessoal sejam alcançados.
  2. Pelos preparativos para o retorno do Guilherme ao Brasil.
  3. Pela viagem da Silvia ao Brasil para tratamento de saúde e pelo retorno da Laura à China.
  4. Pelas crianças apoiadas pelo projeto especialmente por Joshua que vêm sofrendo com asma e eczema e por Jedediah que ultimamente tem tido convulsões.
  5. Polo projeto do livro contando a história de conversão do Pedro.
  6. Pelos colegas missionários na região Luciano Azevedo (Moçambique), Rev. Romário e família (Angola) e Lígia Bordini (Moçambique).
 ________________________________________________________________________________
Contribuições para o trabalho do Rev. Gessé e Iolanda Rios poderão ser feitas através da APMT usando o código de identificação 0,14 em centavos (exemplo: R$ 50,14), nas seguintes contas: 
Banco do Brasil - Agência: 0635-1 (Cambuci) - C/C: 7500-0; 
Banco Bradesco - Agência: 119-8 (Cambuci) - C/C: 107965-4; 
Transferência online - CNJP: 04.138.895/0001-86; 
Boleto bancário – Neste caso ligar para 011 3341 8339 solicitando boletos bancários para efetuar o depósito.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

A noite se aproxima, quando ningém pode trabalhar

Parece uma enorme contradição, mas o país que possui o maior hospital do mundo também continua sendo um dos líderes mundiais em termos dúmero de novas infecções com o virus HIV/AIDS.

O Chris Hani Baragwanath Hospital é apenas um entre os mais de 40 hospitais públicos somente na província de Gauteng, a menor entre as nove províncias da África do Sul. O CHBH (sigla em inglês) está situado numa área de l73 hectares, com aproximadamente 3200 leitos e cerca de 6.760 funcionários (1).

De acordo com o Conselho de Pesquisa de Ciências Humanas da África do Sul (HSRC) os casos de novas infecções com o virus da AIDS continua crescendo. De 2008 a 2012, por exemplo, subiu de 10,6  para 12,2 o surgimento de novos casos. Hoje são 6,4 milhões de pessoas infectadas no país com uma população de aproximadamente 47 milhões de habitantes (2).

O cenário se torna ainda mais sombrio quando levamos em consideração o fato de que mais de 30% desse total são homens e mulheres entre 30 e 39 anos de idade. Ou seja, a mão de obra ativa está compromentida e o potencial de crescimento econômico da nação seriamente ameaçado. Em 2010 apenas o número de mortes no país em consequência do virus foi de 280.000 pessoas.

Porém, a situação continua crítica não apenas na África do Sul, mas em toda a região subsariana. De acordo com a organização ADVERT.org em 2011 esta região sozinha era responsável por 23,5 milhões de casos de AIDS no mundo. Sendo que apenas na sub-região Austral da África se contabilizava um total de 11.040.000 vivendo com AIDS (3).

Na África do Sul o grande desafio tem sido no sentido de diminuir o percentual de novas infecções. A partir de 2008 o país passou a promover mais os meios de prevenção e a oferecer tratamento antiretroviral, mesmo assim em escala muito tímida. Outra preocupação tem sido o número alarmante de crianças órfãs no país. EADVERT.org salienta que em 2012 63% de todos os órfãos da África do Sul perderam um ou os dois de seus pais em virtude da AIDS, muitos dos quais são também portadores do virus.

O futuro ainda parece sombrio, particularmente para os milhões que sofrem com a doença bem como seus respectivos familiares. A pergunta que precisamos fazer é: de que maneira podemos minimizar a dor e particiapr efetivamente no processo de mudança da realidade de milhões de pessoas neste belo continente? Particularmente creio que todos nós podemos nos tornar instrumentos nas mãos de Deus para a tranformação de indivíduos e, consequentemente, de toda uma sociedade, não importa quão perto ou longe estamos do problema.

Creio que todos nós podemos envolver de maneira prática. Cito aqui pelo menos três ações nas quais podemos fazer parte:
a) Orar buscando misericórdia de Deus sobre os aflitos. Esse é um dever cristão e um mandamento bíblico. Orar pelos que sofrem em meio ao caos; orar por aqueles que trabalham com afinco para ofercer alívio, conforto e esperança; orar pelos profissionais na área médica e por aqueles trabalham arduamente em pesquisas de laboratório na busca pela descoberta de uma vacina e tratamentos mais eficazes, etc. A Bíblia nos ensina que "Elias era humano como nós. Ele orou fervorosamente para que não chovesse, e não choveu sobre a terra durante três anos e meio. Orou outra vez, e o céu enviou chuva, e a terra produziu os seus frutos" Tiago 5:17-18. A pode mudar circunstâncias.
b) Podemos investir financeiramente em projetos voltados ao atendimento de pessoas incapacitadas ou limitadas pela enfermidade. Para isso o primeiro passo deve ser buscar informação, conhecer melhor a realidade que envolve tais projetos bem como os próprios projetos. A falta de informação é nosso pior inimigo e para quem quer investir sempre difícil fazê-lo "no escuro". Creio que a principal razão da falta de envolvimento nesta área, portanto, é o desconhecimento. Não basta querer investir, é necessário conhecer. Uma vez que conehcemos melhor fica mais fácil participarmos. Mas é preciso ir atrás desse conhecimento.
c) Podemos, também, nos oferecer para ajudar como voluntários em projetos dessa naturaza ou mesmo a criar algum projeto que atenda tal necessiadade. Esse tipo de envolvimento vai desde o servir na área da saúde ao cuidade de uma horta comunitária ou o ensino, e assim por diante. 

O fato é que todos podemos ser participantes como ministros de Deus numa sociedade ferida. Só podemos saber o quanto dói a dor do outro quando nos dispomos a sentir o seu impacto em sua vida.

Neste sentido o trabalho missionário tem  muito a contribuir. Além de ser uma grande oportunidade de levar conforto para pessoas aflitas, permite-nos em primeiro lugar levá-las a conhecer Jesus Cristo, a verdadeira esperança em face a um problemas ainda maior que o visrus da AIDS - a ausência eterna de Deus. As vítimas deste vírus geralmente se sentem mais encorajadas quando percebem que temos em comum a condição de seres caídos e igualmente necessitados da graça salvadora de Deus. Tendem a reconhecer que essa realidade é ainda mais desesperadora do que a sensação de sentença de morte que têm ao serem informados do dignóstico positivo. Assim, podemos agir em ambas as frentes, ou seja, no plano físico e no plano espiritual.

Portanto, precisamos aproveitar as oportunidades para chamar aqules que são Seus. "Enquanto é dia, precisamos realizar a obra daquele que me enviou. A noite se aproxima, quando ninguém pode trabalhar" João 9:4.

Que Deus fortaleça nossos braços para serví-Lo através do serviço aos que nos cercam.

Fontes:
(1) http://www.chrishanibaragwanathhospital.co.za/
(2) http://mg.co.za/article/2014-04-01-sa-holds-highest-number-of-new-hiv-infections-worldwide-survey
(3) http://www.avert.org/africa-hiv-aids-statistics.htm
Mapa: http://en.wikipedia.org/wiki/HIV/AIDS_in_South_Africa

Missionário não é imune

As nossas fraquezas revelam de maneira ainda mais clara a força e o poder de Deus que opera em nós e por nosso intermédio. Depois de reconhecer suas limitações, das quais não conseguia se desvencilhar, o próprio apóstolo Paulo, ao contrário dos "apóstolos" modernos, conclui dizendo: "Mas Ele me disse: 'Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza'. Portanto, eu me glorio ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte" (2 Cor. 2:9-10).

Como qualquer cristão, também nós missionários que nos ocupamos no exercício da missão, experimentamos o desconforto que as lutas diárias nos trazem. Porém, de igual modo temos encontrado em Sua Palavra o mais absoluto comforto e a paz verdadeira que nos fortaleçe para segurimos adiante. Os incômodos e dissabores que se nos apresentam nem de perto se comparam ao gozo que desfrutamos em Suas promessas. 

É nela que nos deparamos com a doce voz de Jesus nos garantindo do Seu cuidado quando afirma: "Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo" (Jo. 16:33). São as Escrituras Sagradas que nos assguram: "Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações conhece a intençao do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus. Sabemos que Deus age em todas a coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito" (Rom. 8:26-28). 

Tudo que precisamos é aprender a confiar nAquele que que é capaz de nos sustentar em meio às lutas incessantes do vai e vem da vida. 

Hoje li uma reflexão sobre o tema, escrita pelo Dr. Wadislau M. Gomes, a qual compartilho com você no seguinte link:
http://coramdeocomentario.blogspot.com.br/2014/04/fraco-quem-eu.html

Textos bíblicos extraídos da Nova Versão Internacional (NVI)