sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Minhas impressões sobre Nelson Mandela

Nelson Holihlahla Mandela - 18/07/18 a 05/12/13
Não temos como esconder nossos sentimentos de tristeza e dor pela partida desse gigante estadista que viveu e morreu por uma causa, a dignidade do ser humano. Creio que todos que o conheceram ou tiveram a portunidade de acompanhar sua trajetória foram marcados por uma ou mais aspectos do seu caráter.

Sua HUMILDADE sempre me impressionou. O desapego ao poder (uma grande lição para os políticos desta geração), é um dos mostra um pouco de sua humildade. Como disse Rev. Jesse Jackson comentando sua morte na BBC World alguns minutos atrás, "se ele quisesse seu mandato teria acabado ontem, com sua morte". Num continente marcado por líderes com fome de poder, líderes que se apegam às suas posições a ponto de se tornarem destáveis ditadores, seu gesto de considerar sua contribuição dada e não aceitar um segundo mandato diz tudo. Ele mesmo fazia questão de salientar suas fraquezas, de se mostrar humano, pecador como todos os demais seres humanos.

Sua atitude de PERDÃO. Ele entendeu que sua luta não era um empreendimento pessoal, mas uma missão em prol do seu povo (de todas as coras e raças). Foi incompreendido até mesmo pela sua própria família imidiata (vide filme "Invictus"). Quando saiu da prisão e posteriormente assumiu o comando da nação, todos acreditavam em um banho de sangue. Os mais otimistas acreditavam que certas minorias seriam perseguidas, mas em nenhum momento ele alimentou alimentou tal sentimento no meio do seu povo, embora a expectativa de muitos fosse a de revanche. A criação Comissão de Reciliação e Justiça, que teve forte influência de posturas teológicas cristãs de homens como o bispo Desmond Tutu, foi a resposnta encontrada para lidar com o passado. Ele afirmava que o perdão liberta, primeiramente o perdoador, enquanto o ódio aprisiona. Creio que seu maior legado para a nação sul-africano e para o mundo foi a ênfase na reconciliação. É possível vivermos juntos apesar das nossas diferenças.

Sua atitude AMOROSA para com todos, em especial pelas crianças. Talvez o fato de ter sido encarcerado por quase 27 anos, privado de ver seus filhos cresceram, isso tenha contribuído para que ao sair da prisão tenha devotado sua vida em favor das crianças. Quando saiu da prisão uma das primeiras coisas que fez foi segurar uma criança nos braços. Ele mesmo disse que segurar um criança nos braços foi uma das coisas que mais sentiu falta em seus anos de prisão.

Particularmente creio que estes e outros aspectos de seu caráter tenha origem, em parte, em suas experiências como aluno interno nos etudos do primário e secundário na rigorosa escola missionária metodista. Ele mesmo nunca mencionou isso, mas imagino que tais valores intrincecamente cristãos fizeram parte do forjar de seu caráter.

Que seu legado continue a inspirar pessoas ao redor do mundo por um mundo melhor.
Uma explicação: Quando verem o povo cantando e dançando nas ruas enquanto sentem sua morte, isso significa que estão celebrando sua vida, seu legado.

Nenhum comentário: