quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

As Aventuras de Pi

by Rev. G. A. Rios

Ontem fui com minha família e amigos assistir o filme As Aventuras de Pi (Life of Pi).

Foto: Propriedade de Life of Pi
Confesso que gostei muito, embora se trate de uma apologia ao sincretismo religioso da Nova Era. Na verdade fiquei supreendido com a história e a excelente fotografia.

Achei relevante a discussão sobre a importância de manter vivos os valores espirituais que dão sustentação e significado à vida em nossa sociedade, entre outros a fé, a tolerância e o amor, os quais são claramente apresentados no filme.

Porém, como seguidor dos ensinamentos de Cristo, não dá para engolir a apologia ao "deus genérico", conceito apresentado por Eugene Peterson em um de seus livros, o que me parece ser o foco central do filme. Claro, temos que dar o desconto. O filme não tem como objetivo apresentar apenas a cosmovisão cristã, pois assim perderia seu propósito, e sim defender a possibilidade da convivência pacífica entre as diversas religiões mundiais.

Imagens são de propriedade do filme
Foto: Propriedade de Life of Pi
Num dado momento, ao comentar sobre o impacto que o amor sacrificial de Jesus trouxe sobre sua mente, ele diz: "Eu não poderia tirá-Lo da minha cabeça. E inda não posso. Passei três dias inteiros pensando sobre Ele. Quanto mais Ele me incomodava, menos eu podia esquecê-Lo. E quanto mais eu aprendia sobre Ele, menos eu queria deixá-Lo."

Assim, deixou claro que o que mais o impressiona no ensino do cristianismo é o AMOR sacrifical de Deus, capaz de entregar Seu único filho para morrer no lugar de pecadores. Sai do cinema pensando sobre o impacto da fé cristã no mundo se nós cristãos fôssemos mais empenhados em praticá-la como fomos ensinados pelo nosso Salvador, Cristo Jesus. Segundo ele, isso parece irracional e inconcebível, é matéria de fé.

Achei interessante como matéria para discussão e até como ponto de partida para um diálogo interreligioso. Por outro lado, pode facilmente ser usado como ponte para uma abordagem evangelístca.

"E ouvi toda a criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre." - Apocalipse 5:13


Um comentário:

Filipe Piragibe disse...

Concordo Gessé o filme é belíssimo a fotografia é empolgante. A cena do Pi mergulhado no oceano observando o navio afundar merecia realmente aquela "pausa". Mas é acima de tudo artístico e poético. Eu diria que é um filme poético apesar de retratar a realidade de muita gente. Não acredito que o filme cumpra com o aparente objetivo de Pi(de convencer o amigo a acreditar em Deus). Como você disse é um ótimo intróito.
Abração!