sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Notícias de Fim de Ano

Hornamentos de Natal de Iolanda Rios
Nós que vemos o tempo de maneira linear nos rendemos ao fato de que mais um ano chega ao fim e um Novo Ano se inicia. Não temos dúvidas de que ao longo do ano fomos objetos da maravilhosa graça de Deus e certamente o seremos em 2013. Fim de ano é sinônimo de celebração, reunião familiar, reencontro e também muita saudade daqueles que já se foram. Mas, acima de tudo, é o tempo em que celebramos o primeiro advento, a encarnação do Verbo Divino. Celebramos jubilosamente o fato de que ... um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” Is. 9:6.  Desse modo, iniciamos nossa ultima missiva do ano desejando-lhe FELIZ NATAL e um ANO NOVO repleto da alegria e paz que temos somente em Cristo Jesus, o Messias prometido. 

Esta carta visa também lhe agradecer pelo grande apoio que nos deu sem o qual jamais teríamos vencido os muitos desafios e obstáculos que surgiram ao longo do ano. Graças à sua participação, em 2012 nos foi possível: 1. Dar continuidade ao apoio no trabalho da igreja local em sua liderança e por meio do projeto C-Step; 2. Orientar e acompanhar colegas missionários em processo de aquisição da língua inglesa na Cidade do Cabo; 3. Supervisionar projetos missionários da APMT/IPB na região Austral da Africa; 4. Dar sequência nos contatos com lideranças de outras igrejas em países da referiada região.
No âmbito familiar fomos ricamente abençoados por Deus. Guilherme, nosso filho mais velho, teve um ano de amadurecimento no trabalho, desempenhando bem seu papel na carreira que escolheu. Para Philipe e Leonardo este foi o primeiro ano de faculdade e finalizaram com excelentes resultados. Ambos passaram com distinção em várias matérias. Quando pensávamos que não teríamos como custear seus estudos este ano, Deus direcionou parentes e amigos que generosamente nos ajudaram a honrar os compromissos. Neste e em outros aspectos 2013 será um grande desafio, mas confiamos na providência do Pai. Além dos altos custos que teremos com as universidades deles, precisaremos retornar ao Brasil em 2013 para check-up médico, descanso e visita a familiares e igrejas parceiras no nosso trabalho.
Para agradecer conosco: 1. Pelo bom desempenho de nossos filhos em seus estudos; 2. Por minha recuperação da cirurgia acontecendo sem maiores complicações; 3. Pela vida, fidelidade e dedicação dos nossos parceiros ministeriais, inclusive nossa querida agencia - APMT/IPB.
Para interceder conosco: 1. Pelos colegas missionários presos no Senegal; 2. Por Silvia Octaviano que viverá pela primeira vez a experiência de se separar por um longo período de sua filha Laura; 3. Pela continuação do meu tratamento; 4. Pelas crianças Joshua e Zachari  que continuam bastante doentes.

Pelos laços do Cordeiro,
Rev. Gessé Almeida Rios (pela família)

Contribuições para o trabalho do Rev. Gessé e família poderão ser feitas sempre usando o código de identificação 0,14 em centavos (exemplo: R$ 50,14), nas seguintes contas da APMT: 
Banco do Brasil - Agência: 0635-1 (Cambuci) - C/C: 7500-0; 
Banco Bradesco - Agência: 119-8 (Cambuci) - C/C: 107965-4; 
Transferência online - CNJP: 04.138.895/0001-86; 
Boleto bancário – Neste caso ligar para 011 3341 8339 solicitando boletos bancários para efetuar o depósito.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Morre um grande cidadão Brasileiro

Oscar Niemeyer

Aqui ali vejo pessoas postando coisas nas redes sociais, emitindo julgamentos, dando um veredicto sobre sua condição post-mortem, etc. Tudo ignorância. NIEMEYER morreu e isso pertence a Deus somente. A morte de qualquer ser humano deveria nos silenciar, calar, e isso é tudo! Nossa preocupação uns para com os outros deve se limitar apenas a esta vida. O escritor aos Hebreus diz que "aos homens está ordenado morrer uma só vez, vindo depois disso o juízo" (Hb. 9:27). Quando cruzamos esta linha entramos num terreno que não nos pertence, mas a Deus somente. Precisamos aprender a nos preocupar cada vez mais com os vivos. Foi para isso que fomos chamados e é esse tipo de procupação que pode mudar vidas e a sociedade como um todo.

Também fico indignado com aqueles irmãos intolerantes que se acham no direito de incriminar aqueles, prefiro chamar de "fracos na fé", e ficam por aí emitindo seu juízo na questão. Num determinado comentário combatendo nossos irmãos "mais fracos" sobrou adjetivos tais como "crentalhada", "abilotados", etc. Para estes, tenho a dizer o seguinte:

Eu me entendo como um "crente" em Cristo Jesus. E nem por isso me vejo como um "abilotado". Jargões e generalizações do tipo "crentalhada", e outros adjetivos nada amorosos, não ajudam e não edificam em nada. Só aumentam rixas e divisões, descritas pela Palavra de Deus como "obras da carne" (Efésios 5:19-21) em contraposição ao "Fruto do Espírito" (Efésioas 5: 22). Quem entende verdadeiramente a Graça, pratica a Graça para com os demais que ainda não chegaram no "nível elevado" dos que andam por aí caindo na desgraça de se auto-intitularem os únicos profundos conhecedores da Graça. No meio dessa "crentalhada" existe muita gente boa, simples é verdade, mas que entende perfeitamente e vive tão somente debaixo da Maravilhosa Graça. 
 
Certamente, um verdadeiro "crente" em Cristo Jesus sabe que é só pela Graça que chegou lá, nada mais. É só pela Graça que consegue viver. É só pela Graça que se mantém de pé. É só pela abundante Graça de Deus que sua salvação está garantida na eternidade. Sabe também que em matéria de salvação TUDO pertence a Deus. Ninguém tem o poder de prescrutar o coração humano. Isso pertence a Ele somente. Nenhum ser humano, seja ele mestre, doutor, pastor, padre, professor, apóstolo, profeta, iluminado, guru, etc. pode ou deve emitir qualquer juízo na questão da morte de quem quer que seja. Salvação pertence a Deus do começo ao fim e ponto final.

Minha oração, por um lado é no sentido de que Deus dê crescimento aos "crentes" que ainda não amadureceram o suficiente para chegarem no nível de espiritualidade daqueles que se acham os únicos conhecedores ou detentoras da Graça. E, por outro lado, que Deus, na Sua infinita misericórdia (e abundante Graça), dê aos nossos irmãos "crescidos" na Graça, a sensibilidade, a paciência e a humildade necessárias para suportar os "fracos" na fé, em amor. Isso sim, é Graça oferecida ao próximo. Isso sim é Graça no caminho, enquanto caminhamos juntos nossa jornada rumo ao Pai.

Rev. Gessé Almeida Rios
Por causa de Sua abundante e maravilhosa Graça.