quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Um grito de socorro - Parte I

Depois de 20 anos o sol parece raiar novamente!

Gente, isso tudo o que estou escrevendo pra vocês nos últimos dois e-mails não é conto da carochinha nem anda encaminhado! É a história da minha vida (Celinda), da minha família e de um povo que deve ser seu povo também, brasileiros como nós, porém que não desfrutam do mesmos direitos que nós.

Agora, imagine se de repente alguém descobrisse que a cultura brasileira é única e maravilhosa, e que por isso deve ser preservada. Maravilhoso, não? Pois é... mas imagine ainda que para garantir a preservação de tão bela cultura, alguém tivesse a brilhante idéia de manter todos os brasileiros completamente isolados do resto do mundo para não serem contaminados por nenhum traço de outras culturas?! Genial, não? Olha só que perfeito:

A partir de hoje fica decretado:

1. Nenhum brasileiro pode mais sair do Brasil, e ninguém pode entrar no Brasil. Nem se pode ter notícia alguma do que há no restante do mundo.

2. Nenhum brasileiro pode falar outra língua que não seja o português. Nem pode mais aprender a ler e escrever porque escrita é coisa herdada de Árabe, Egípcio e Chinês.

3. Nenhum brasileiro pode adquirir e utilizar utensílios e tecnologia que não seja brasileira, e se por acaso você já tinha algum destes objetos, serão todos amassados e queimados em uma grande e festiva fogueira. Então dê adeus, aos seus computadores, Ipods, roupas de seda, tênis legais, carros e motos e tudo o mais...

4. Nenhum brasileiro pode mais comer comida que não seja brasileira. Então dê adeus às pizzas, macarrão, kibes, chocolate, strogonofs, hamburgueres, sushis etc...

5. Nenhum brasileiro tem condições de decidir sobre sua própria vida, todos são considerados menores e devem ser tutelados, mesmo que as decisões envolvam exclusivamente sua vida pessoal. Serão nomeadas pessoas apropriadas para decidir sobre sua vida, sua casa e sua terra.

6. Qualquer tentativa de criatividade, inovação e/ou desenvolvimento será sumariamente interditada, antes, pelo contrário todos devem retornar a usos e costumes ancestrais, mesmo que já estejam extintos há séculos. Então vamos começar a pesquisar costumes ancestrais para reimplantá-los.

Então... genial, né? Agora sim, todo brasileiro vai gostar de si mesmo, se valorizar e se sentir especial, não vai?... pfff.. vocês acham que estou de brincadeira??? Pois é exatamente isso o que fazem com dezenas de tribos indígenas no Brasil!!! Mas não pára por aí.

Todas essas regras de “preservação” são impostas a estes grupos, porém, eles continuam expostos a todos os tipos de tecnologia e inovação, sem desfrutá-las. Então enquanto a equipe ali residente, e outros índios da região passeiam em barco a motor, os índios isolados devem remar! Não importa o cansaço, o sol, ou as dores, é bonito remar!

E enquanto os visitantes se empanturram dos mais ricos manjares em frente aos indígenas, eles podem experimentar tais iguarias? Claro que não! Índio só pode comer macaco. Se ele comer qualquer outra coisa vai deixar de ser índio.

E enquanto todos da região pescam usando anzol, os índios tem que bater o timbó, um veneno que mata o rio inteiro para que eles peguem 10 ou 15 peixes. Mas os índios sabem ‘preservar a natureza’ (“ã-ham” matando um rio inteiro com um cipó venenoso), e afinal um anzol é tecnologia demais, vai estragar a cultura!

Vou parar por aqui... mas me digam... que raio de preservação é essa??? O que acontece quando alguém é tratado por tanto tempo como um animal irracional???

Algo aconteceu no último dia 18/10/10! Cerca de 138 índios Zo’é (mais de metade da população da aldeia) que são assim tratados há 20 anos, não aguentaram mais, cansados de serem abusados e humilhados diariamente pelo líder da equipe da FUNAI saíram em busca de respostas.

Conheceram aldeias inteiras onde todos tem acesso ao mais variados tipos de recursos e tecnologia, sem perder sua identidade indígena. Tribos que realmente são valorizadas pelo que são, e não são mercadejadas. Que possuem projetos sérios de educação, desenvolvimento e saúde.

Indignados eles abriram caminho em meio a mata e chegaram até a cidade de Oriximiná para pedir socorro. Uma TV local noticiou o ocorrido e só. Enviaram a Polícia Federal para devolver o grupo para a mata e o caso foi abafado. Polícia pra acuar os índios??? De novo? A polícia devia estar atrás daquele que está sendo denunciado! E não das vítimas!

Por que ninguém quer divulgar o grito de socorro desse povo???!!! Vamos gritar por eles. Aqui vai o link da reportagem ... http://www.youtube.com/watch?v=fG5l3vrLOMA assistam e espalhem antes que as imagens desapareçam, vamos dar voz a este povo que precisa ser GENUINAMENTE preservado.

Que alegria pensar que a liberdade desse povo é possível!



Celinda Castro.

Nenhum comentário: