terça-feira, 10 de agosto de 2010

Refugiados: desconforto ou oportunidade?

De acordo com o relatório da ONU de junho de 2010 hoje existem quase 16 milhões de refugiados no mundo e o número de pessoas repatriadas é bem menor que o número de novos refugiados. Isso significa que o mundo está enfrentando um grande e crescente problema. Por outro lado o número de IDP (sigla inglesa para Pessoas Deslocadas Internamente) também está em constante processo de crescimento. Somente em 2009 o número de IDPs chegaram a mais de 27 milhões 2009, a maioria em virtude dos conflitos na República Democrática do Congo, Paquistão e Somália.

Conforme dados do mesmo relatório mais de 43 milhões de pessoas foram forçosamente deslocadas no mundo apenas no ano passado. A maioria desses refugiados vivem em áreas urbanas onde existem mais oportinidades para estudos e emprego. Tenho trabalhado com refugiados na Cidade do Cabo nos últimos 8 anos e tem sido esta a minha constatação. É interessante observar que muitos deles vem de países onde não é permitido proclamar abertamente o evangelho. Eles vivem e interagem com os nacionais o que significa que o contato com a fé cristã é inevitável. Para alguns deles é quando pela primeira vez têm um contato significativo com a forma de vida cristã. Alguns até são empregados por patrões cristãos ou mesmo vivem com famílias cristãs.

Portanto, a Igreja nesses países recebedores deveriam ver esse fenômeno como uma oportunidade estratégica para alcançar um não alcançado, mais especificamente se levarmos em consideração o fato de que muitos serão residentes temporários. Uma vez que a maioria deles querem um dia poder voltar para sua terra natal, para o meio do seu próprio povo. Pense por um momento o qão impactante será se no meio do seu próprio povo se essa pessoa um dia retornar como uma nova criatura, lavada pelo sangue do Cordeiro, como uma testemunha da Cruz.

O ponto que quero fazer aqui é: como a Igreja, o corpo de Cristo, está respondendo a esse desafio? Estamos vendo isso como uma grande estratágia para semear nesses terrenos que estarão preparados pelos Senhor para receber a boa semente de salvação em Cristo? Estamos nos preparando para recebê-los de braços abertos em nosso país? Estamos preparados para, acima de tudo, através de ações concretas demonstrar-lhes o amor de Cristo?

Pelos laços do Cordeiro,
Rev. Gessé Almeida Rios