domingo, 6 de setembro de 2009

AIDS, um pesadelo na África

HIV/AIDS segue fazendo vítimas especialmente entre as mulheres. Na região do sub-sahara existem aproximadamente doze milhões de crianças órfãs de pai ou mãe, ou ambos. Cerca de três milhões desse total apenas na África do Sul. A África do Sul ocupa o primeiro lugar no ranking mundial nas estatísticas sobre a AIDS. Para agravar ainda mais a situação a prática do curandeirismo (aqui chamados de médicos tradicionais) e certas tradições em algumas culturas africanas comprometem qualquer programa na tentativa de barrar seu avanço.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Carta de Setembro

Cape Town, 01 de setembro de 2009

Há duas semanas conversava com um presbítero de nossa igreja em Cape Town quando este confessou o impacto que tem sido na sua vida e de sua família, o trabalho que desenvolvemos com refugiados na igreja. Empregado bem sucedido, carreira consolidada (quase 30 anos de serviços prestados numa grande empresa), bom salário, promoções e prêmios todos os anos, etc. Há um ano pediu aposentadoria antecipada (o que significa perdas) para se dedicar em tempo integral num projeto cristão com nacionais (http://www.learntoearn.org.za/Khayelitsha.htm), semelhante ao que desenvolvemos com refugiados. Naquela conversa ele brincou comigo, dizendo: “você foi o culpado”. Apenas respondi: “ficaria contente se fosse verdade, mas sei que não fui eu e você sabe exatamente quem foi”. Aquilo que fazemos no reino de Deus tem implicações bem maiores que apenas os resultados esperados. Deus nos surpreende a cada dia na medida em que buscamos viver pela graça e debaixo de Sua soberana vontade.

Nossa família tem sofrido um pouco com gripes e viroses desde que retornou do Brasil. Cremos que as cirurgias da Iolanda baixaram sua resistência o que a faz ainda mais vulnerável. No momento estamos (o casal) fazendo um curso de 30 horas na área de Cuidado Pastoral, através da Capelania Evangélica do Groote Schuur Hospital (http://en.wikipedia.org/wiki/Groote_Schuur_Hospital), no qual foi realizado pelo médico cristão Dr. Christiaan Barnard o primeiro transplante mundial de coração. Tem sido uma boa experiência e de grande valor para nosso ministério o qual visa lidar com o aflito e sem esperança.

A família missionária da APMT em Cape Town está crescendo. No momento formamos um grupo treze pessoas, sendo cinco adultos (e o que é melhor, gente madura), quatro jovens e duas crianças. Além disso, Deus está nos dando o privilégio de contar com mais duas irmãs missionárias presbiterianas, Cláudia (de Anápolis - GO) - professora de professores de crianças - e Verônica (de Recife - PE) - psicóloga atuando em sua área para agências missionárias brasileiras. As duas num programa de aprendizado da língua inglesa por seis meses. Como podem ver, estamos bem acompanhados.

Rev. Giancarlo e Adriana, com pouco mais de dois meses no país, mostram uma boa adaptação e excelente entrosamento com a equipe e nacionais. Até parece que já eram conhecidos por aqui. Estão evoluindo bem na comunicação e as crianças (Lucas e Sarah), aos poucos se enturmando na escola. Estamos contentes com o ritmo dos trabalhos tanto na parceria com a escola de inglês (SALA) para missionários, bem como na sequência do trabalho com refugiados.

Ao retornamos do Brasil fomos apanhados de surpresa com a notícia do casamento do Pedro Vicente e Anthea. Eles se conhecem faz seis anos. Há menos de um ano começaram namorar e estão já na fase final do aconselhamento pré-nupcial. O casamento está marcado para dia 24/10/09. Ficamos contentes de ver o envolvimento da igreja em ajudar nos preparativos. Alex (refugiado do Burundi) conseguiu trazer a esposa e filha de seis anos. Demoraram cerca de um mês para chegar. Alvere, Jean Paul e crianças estão bem. Igueti continua cada vez mais esperta. Próximo ano já vai para a escola. Através do C-Step a adotaremos para auxílio educação. Não há escola gratuita na África do Sul, mesmo as escolas públicas são pagas e às vezes mais caras. Conseguimos uma verba para esse fim e colocaremos na pré-escola ainda esse mês. Coco, Ndiro e Christopher não aparecem faz algum tempo e estamos sem notícias recentes. Daniel e Bastini continuam firmes na fé dando um bom testemunho. O Tonny continua desempregado e bastante desanimado.

Recentemente auxiliamos alguns refugiados da República Democrática do Congo a conseguirem ser entrevistados pelo Alto Comissariado da ONU para os Refugiados. O objetivo é obter apoio da ONU para acharem outros países potenciais receptores a fim de deixarem a África do Sul, devido às constantes dificuldades enfrentadas por aqui. No entanto temos procurado frisar a todos, a necessidade de, seja onde ou em que circunstância for, entregarem tudo ao Senhor e confiar em sua provisão. Temos procurado aproveitar essas oportunidades para levá-los a perceber a necessidade de um relacionamento salvífico com Cristo.

Muitos ainda sofrem ameaças, em parte devido ao grande número de refugiados no país competindo no saturado mercado de trabalho da África do Sul. Para entendermos melhor a complexidade é importante salientar que aproximadamente 40% da mão-de-obra ativa sul-africana está desempregada. Com a presença cada vez maior de estrangeiros fugindo de zonas de conflitos em seus países, a situação fica ainda mais tensa. A economia decadente no Zimbábue só aumenta o drama. Estima-se haja cerca de três milhões de zimbabuanos na vivendo na África do Sul, a maioria ilegal. HIV/AIDS segue fazendo vítimas especialmente entre as mulheres. Na região do sub-sahara existem aproximadamente doze milhões de crianças órfãs de pai ou mãe, ou ambos. Cerca de três milhões desse total apenas na África do Sul. A África do Sul ocupa o primeiro lugar no ranking mundial nas estatísticas sobre a AIDS.

Tudo isto parece bastante sombrio. Porém, percebemos claramente Deus agindo maravilhosamente em meio aos "escombros". Igrejas estão acordando para sua tarefa de serem luz e sal nessa terra. Assim, refugiados chegam à África do Sul em busca de melhores condições de vida, em busca do pão que perece e muitos deles acabam encontrando o Pão da Vida. Muitos seguem daqui para outras partes do mundo ou de volta às suas terras de origem desfrutando e compartilhando as Boas Novas da salvação em Cristo com os seus.

Solicitamos unirem-se a nós em oração:
• Agradecendo pela adaptação dos missionários recém-chegados, progresso diário no aprendizado da língua e crescimento da equipe
• Intercedendo para que Deus continue gerando frutos dignos de Sua glória entre nós
• Pelos refugiados e as situações que os aflige
• Para que a visita da APMT, Nacional da SAF e Casa Editora Presbiteriana em setembro, seja um tempo de alegria e goza para todos


Juntos, servindo em Missões

Rev. Gessé, Iolanda, Guilherme, Philipe e Leonardo

><> ><> ><> ><> ><> ><> ><> ><> ><> ><> ><>
Contribuições para o ministério do Rev. Gessé e família podem ser feitas das seguintes maneiras, sempre usando o código 0,14 em centavos (exemplo: R$ 50,14):
Banco do Brasil - Agência: 0635-1 (Cambuci) - C/C: 7500-0, Banco Bradesco - Agência: 119-8 (Cambucí) - C/C: 107965-4, Transferência online - CNJP: 04.138.895/0001-86 Ou boleto bancário – Neste caso ligar para o (011 3341 8339) solicitando boletos bancários para efetuar o depósito.