sexta-feira, 23 de maio de 2008

Afinal, quel é o nome? Cabo da Boa Esperança ou Cabo das Tormentas?

Esta região do continente é cohecida pelas constantes tempestades de ventos e correntes bravias no encontro dos dois oceanos, Índico e Atlântico. Até parece que os dois não se entendem e estão sempre a brigar.

O contorno do Cabo é conhecido como "cemitério de navios" em virtude do grande número de navios que afundaram nessa região ao longo de sua história. Com toda tecnologia ainda hoje se tem notícias de embarcações sendo vitmas de suas correntezas bravias.

Não é a toa que a região recebeu o nome de Cabo das Tormentas. Bem, creio que o nome "Cabo da Boa Esperança" foi uma tentativa de desmistificar a idéia negativa que se teve a priori.

O fato é que a feroz e constante luta entre os dois mares, podem muito bem representar as tensões milenares existentes entre os milhares de grupos étnicos deste belo continente. Na África do Sul estamos presenciando essa tensão de maneira ainda mais clara nos últimos dias.

Ninguém imaginava que de uma hora para outra, como ocorre com as tempestades de ventos fortes que varrem a região do Cabo (das Tormentas ou da Boa Esperança), tudo se tranformaria na brutalidade que estamos presenciando. A calma rotina da cidade em questão de horas cedeu espaço à pancadaria, destruição e morte.

Ao longo desses doze dias de conflitos 43 pessoas já foram mortas, centenas de feridas e mais de 28 mil desabrigados. O exército foi chamado a cooperar com o trabalho da polícia.

Barracas para abrigar refugiados estão sendo armadas, contrariando a política sulafricana de integração dos refugiados ao invés de isolamento em campos de refugiados sob controle da ONU- modelo que é adotado na maioria dos países.

Ontem foi um dia de cão para muitos moçambicanos tentando fugir da África do Sul. As autoridades nas fronteiras estavam tendo dificuldades para processar documentação de pessoas escapando dos conflitos.

Em pouco mais de uma semana os epsódios se alastraram por diversas partes da província de Gauteng. A preocupação de era que isso não se espalhasse pelas demais províncias.

Infelismente, as ondas provocadas pela tempestuosa violência parecem ser mesmo contrárias. Em apenas 24 horas o mal se espalhou para as províncias de Kwazulu-Natal, mais precisamente na cidade de Durban, e Western Cape, particularmente na Cidade do Cabo.

Domingo, 25 de maio será dia de celebração quando se comemora o "Africa Day". Há rumores divulgados em panfletos anonimos de que os ataques se intensificarão por ocasião das celebrações. Esperamos que não.

Estamos a nos perguntar: onde foi parar a tão badalada "Africa Renascence" orgulhosamente apresentada na posse do então presidente Thabo Mbeki? Onde foi parar o conceito de "espírito Ubunto" do povo africano? Certamenta há alguma coisa errada no ar.

Estamos articulando abrigar estrangeiros (refugiados) nas dependências da igreja. Os devidos preparativos para recebê-los estão sendo feitos (roupas, cobertores, comida, etc. estão sendo estocados).

Acabo de receber telefonema de uma refugiada, grávida e com uma filhinha de apenas 3 anos de idade. Ela vive numa favela e está sofrendo sérias ameaças. Nesse momento (são 18h30) não há mais transporte público saindo daquela localidade.

Por outro lado, como estrangeiro também não posso ir lá. No entanto, temos a arma da oração à qual nos apegamos na viva esperança que Deus, o Todo-Poderoso, a protejerá juntamente com sua filha.

E assim aguardamos que o amanhecer traga consigo a calmaria que todos precisamos nesta terra já banhado por tanto sangue inocente.

Que Deus tenha misericórdia da África do Sul e seu povo.

2 comentários:

Kênia disse...

Olá Gessé,
Parabéns pelo seu blog, está ótimo.
Que pena que o Cabo da Boa Esperança atualmente está mais para Cabo das Tormentas. Temos acompanhado as tristes notícias daí pelos telejornais e pelo seu Blog.
O país todo precisa mais do que nunca se lembrar do "espírito Ubunto" do povo africano e da "Africa Renascence", para superar hostilidades, conflitos e tantas outras dificuldades que assolam o país.
Nossa oração é que Deus acalme a população e, sobretudo, os corações cheios de ira e violência. Que Deus proteja a todos os estrangeiros e derrame da sua paz.
Abçs,
Kênia.

Rev. Gessé Almeida Rios disse...

Oi Kênia.
Seja bem-vinda ao nosso espaço.
Com certeza, é disse que todos aqui precisam. O mais difícil tem sido ver criancinhas com os olhares denunciando o medo e terror dos seus corações.
Abs,
Gessé