quinta-feira, 24 de abril de 2008

Carta de Oração (Notícias - Abril 2008)

Rev. Gessé e Iolanda Rios

294 Main Rd, Kenilworth * 7708 Cape Town, South Africa


Cidade do Cabo, abril de 2008


Era, porém, Josué já velho, entrado em dias; e disse-lhe o Senhor: Já estás velho, entrado em dias; e ainda muitíssima terra ficou para possuir. Josué 13:1


O que se diz a respeito de Josué nesta passagem se aplica a todos nós. Ela descreve, de certa forma, nossa trajetória nesse mundo. Somos trazidos à vida e chamados por Deus para executarmos, na terra, nosso papel como cidadãos dos céus. Estamos certos que desde que nascemos caminhamos para o fim dos nossos dias terrenos. Mas qual será o resumo que se fará da nossa vida. O texto não diz, mas está implícito nessas palavras o árduo, porém, excelente trabalho de Josué no processo de conquista da terra. A palavra não é de reprovação ou lamento do tipo: Você envelheceu, está fraco e não cumpriu seu propósito aqui. Mas, sim, você agora está velho e ainda há muito a conquistar, porém, já conquistou bastante. Isso implica em que outros precisam dar continuidade na tarefa da conquista. O fato é que sempre haverá ainda muito a conquistar. Portanto, enquanto estamos aqui, não desfaleçamos. Trabalhemos enquanto é dia como o Senhor nos ensinou, pois a noite vem quando nenhum trabalho mais poderá ser feito.

Depois de um breve recesso, conforme calendário letivo do país, reiniciamos os trabalhos nas salas de música, costura e computação. Estamos contentes com os resultados até aqui. No programa de computação, a procura diminuiu no começo do ano, mas reiniciamos após recesso com mais uma classe. A procura pelas classes de digitação, que são conduzidas pela Silvia, tem sido boa. Silvia tem se envolvido bem com o trabalho e no relacionamento com a Igreja Presbiteriana do Kenilworth. No programa com a música Cristopher e Daniel vêm se destacando bastante. O Pr. Marcos, responsável pela classe de música, estará formando um grupo musical com eles para nos acompanharem no culto em português. Alivera e Chance continuam firmes na fé e na costura. Recentemente foram recebidas como membros da igreja. Alivera se casou há alguns meses com outro refugiado do Burundi e está esperando um bebê.

Um programa cristão de televisão que é apresentado no SABC2, um dos canais de maior audiência no país e região sul do continente, esteve aqui por dois dias fazendo gravações para uma entrevista com o Pedro Vicente, refugiado cego angolano que se converteu por intermédio do nosso trabalho há 3 anos. O programa foi ao ar no último domingo dia 13 e teve grande repercussão. Foi algo bem feito e certamente levou muita gente a refletir de maneira mais séria sobre a vida com Deus. No programa fui apresentado como missionário brasileiro, já fui até abordado na rua por pessoas fazendo perguntas sobre o Brasil e sobre a conversão do Pedro. Apesar de cego Pedro é um rapaz bastante inteligente e informado. Parece ter uma fonte inesgotável de energia. Nesse momento, através de uma ONG que oferece apoio a deficientes, está fazendo equitação, isso mesmo! Nesta foto ele cavalgando na praia com uma instrutora, segundo ele, realizando um dos seus maiores sonhos. Disse que depois de sua conversão esse foi o dia mais feliz de sua vida.

Uma das frustrações do trabalho com refugiados é que de vez em quando alguns somem e ficamos meses sem ao menos ter notícias. Foi o que aconteceu com o Avelino. Após cerca de dois anos o encontramos de volta. Está bem, apesar de ter passado por situações bem complicadas em Moçambique. Está trabalhando e tem que viajar bastante, o que dificulta nosso contato, mas o temos encorajado a continuar buscando o Senhor através da oração e leitura de Sua Palavra. O Antonio Zoio também havia sumido há alguns meses. Ele não é refugiado, mas o temos acompanhado, pois o encontramos um pouco distanciado dos caminhos do Senhor. Felizmente fomos informados recentemente que está bem, conseguiu um emprego em Angola e agora está casado. Soubemos que está muito bem também em sua vida com Deus, isso nos alegra.

Alegramo-nos bastante também por reencontrarmos a Cindy. Ela é uma jovem senhora sul-africana que conheceu a Cristo há alguns anos no Brasil através do serviço de capelania penitenciária realizado por irmãos de uma Igreja Presbiteriana em São Paulo. Cindy hoje é casada, tem um filhinho e serve ao Senhor. Sua história é simplesmente comovedora e nos mostra que Deus em Sua soberania e infinita misericórdia atua em circunstâncias das mais inusitadas. Também nos mostra que Ele sempre honrará nossos esforços no objetivo de alcançar o homem perdido. Fico pensando: se durante o tempo que essa jovem esteve presa no Brasil nenhuma igreja tivesse se preocupado com ela, talvez continuasse ainda longe da Verdade que liberta. E provavelmente toda sua família sem o conhecimento de Deus. Hoje a maioria e cristã.

Silvia e Laura continuam bem o processo de adaptação cultural e envolvimento com a Igreja Presbiteriana do Kenilworth. Todos as tratam com muito carinho. Até parece que já se conheciam de longas datas. A Laura está se entrosando bem na escola e acompanha com certa facilidade o ritmo entre os colegas.

No momento estamos com dois novos projetos em faze de implementação. O projeto para aquisição de um veículo maior para servir melhor o trabalho tem sido divulgado e vem gerado considerável repercussão. Algumas ofertas de pequeno valor já foram feitas e cremos que Deus há de multiplicar esses esforços visando melhor servi-Lo aqui. O outro projeto, iniciativa da APMT e que há muito tem estado em meu coração, será divulgado em tempo oportuno e já conta com total simpatia da Igreja parceira aqui na África do sul.

Nossa família está bem, graças a Deus. Os meninos estão muito bem nos estudos. Nossa preocupação maior no momento continua sendo a saúde da D. Elvira. Está terminando uma série de sessões de radioterapia. Teve bem doente com a febre da dengue e agora não consegue se alimentar bem por falta de apetite. Vemos nossa viagem ao Brasil no final do ano para um maior período de tempo como uma necessidade cada vez mais urgente. Esse é um projeto para o qual pedimos suas orações. Há muita coisa para conciliarmos nesse processo. Precisamos decidir tudo à luz dos trabalhos aqui, da escola do Philipe e Leo, Universidade do Guilherme, etc. Inicialmente estamos planejando tirar os dois primeiros meses para estar entre nossos familiares na Bahia e Goiás e os quatro meses seguintes para visitar as igrejas parceiras do projeto. Ainda não disponibilizamos de nenhum recurso para essa viagem. Portanto, como dissemos anteriormente, precisamos que nos ajudem em suas orações para que Deus nos dê a melhor solução possível.

Agradecimentos:

  • Pelo reinício dos trabalhos no projeto
  • Pela adaptação da Silvia e Laura
  • Pelo apoio que temos recebido da Silvia nos trabalhos
  • Pelos estudos dos nossos filhos

Intercessão:

  • Por livramento para o Guilherme em suas idas e vindas da Universidade. África do Sul é considerada um dos países mais violentos do mundo
  • Pelo tratamento da D. Elvira
  • Pelo alto custo de vida no país
  • Pelo futuro da Escola Cristã em que nossos filhos estudam desde que chegamos à Cidade do Cabo
  • Pelos projetos em andamentos e projetos a serem implementados
  • Pela nossa viagem ao Brasil no final do ano.

No amor do Mestre

Rev. Gessé, Iolanda,

Guilherme, Philipe e Leonardo.

><> ><> ><> ><> ><> ><> ><> ><> ><> ><> ><>

Contribuições para o ministério do Rev. Gessé e Família podem ser feitas das seguintes maneiras, sempre usando o código 0,14 em centavos, por exemplo: 100,14:

Banco do Brasil

Agência: 0635-1 (Cambuci) - C/C: 7500-0

Banco Bradesco

Agência: 119-8 (Cambucí) - C/C: 107965-4

Transferência online

CNJP: 04.138.895/0001-86

Ou boleto bancário – Neste caso ligar para o (011 3341 8339) solicitando boletos bancários para efetuar o depósito.